Desilusão Contextual.

00

Hoje não sinto mais prazer,

perdi minha inocência,

minha crença,

minha própria consciência.

 

Crer nas pessoas cegamente é errado,

mas quem poderia ver que em um Homem,

existiria sonhos e esperança,

e a inocência pura de criança?

 

Pena que tardio aprendi,

vi minha vida sendo invadida,

persuadida, corrompida.

 

Amigos? …

 

Amigos? …

 

Palavra que simplesmente caem

diante de desejos alheios.

Ideologia que fere, magoa, destroem sonhos.

 

Vi meus trabalhos sendo invadidos,

corrompidos.

 

E por interesses alheios à minha vontade,

destruíram meus sonhos, minha história.

Hostilizaram meu trabalho sem permissão.

 

Esta invasão é uma ideologia negra,

pobre, devastadora.

Que está incrustada em nossa sociedade,

e destroem nossa liberdade.

A liberdade de amar,

de expressar e criar.

 

Hoje perdi minha inocência,

meu trabalho foi parcialmente corrompido,

e por interesses alheios destorcidos.

Deixando meu coração em lágrimas,

partido, desiludido.

 

Há pessoas que promovem o bem,

cuidam de suas vidas e dos seus,

esta é uma dádiva dada por Deus.

 

Porém existem pessoas más,

pessoas que não medem consequências,

não respeitam divergências.

 

E hoje simplesmente choro.

Entro em meu ¨eu¨ em despedida.

Talvez esta seja minha carta de partida.

Não creio mais nos homens,

em suas ideologias sociais,

humanitárias e políticas.

 

Entristeci-me ver que…

A cultura hoje foi corrompida,

invadida, destruída.

 

E Amigos? …

Sei lá, são poucos…

 

Pois os verdadeiros?

São aqueles que nos respeitam,

são aqueles que não passam por cima de tudo,

ou de todos para alcançar seus desejos.

 

E hoje? …

 

Choro por perder a confiança na humanidade,

por conhecer a deslealdade

daqueles que um dia apertaram minhas mãos,

Aconselharam-me, abraçaram-me.

 

Sinto-me apunhalado pela invasão.

Sinto-me apunhalado pela desilusão.

Sinto-me apunhalado por aqueles que…

Um dia admirei, respeitei e abracei.

 

A cultura que foi desrespeitada,

se cala diante da falsidade,

como as partes de meu trabalho,

que se apaga para a humanidade.

 

E eu? …

 

Talvez parta para uma Odisseia solo,

onde minhas palavras e meus textos,

promova somente meus sonhos.

 

A aqueles que hoje destruíram estes sonhos,

talvez no amanhã lembrarão.

Que a vida é simplesmente uma passagem.

Pois exatamente aqueles que foram feridos,

um dia poderá ser aquele que lhe falta,

para você chamar de amigo.

 

 

leandrocampos

Leandro Campos Alves.

Livro Revelações.

Clube de Autores & Publique Saraiva.

Parceria Literária

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s