De Tão Sublime O Teu Nome Só Cabe Neste Título A Palavra Que Vier

novia(Imagem: Sem Fonte)

Imponente a tua figura com raiar de majestade
Cuja sombra enegrece o concreto da cidade
Quem me dera a minha voz que aqui caminha já retida
Reluzisse a compreenção desta tão turva e vil escrita

A que pudesse eu, de um lado, cantigar em tua glória
E por outro houvesse alguém que compreendesse a tua história
Pois não quero eu cometer aqui de um erro tão comum
E deixar subentendido que o louvor é mesmo algum

Pois eu carrego na memória o reluzente o teu valor
Que repousaste sobre a terra à merce de algum favor
E ainda carrego em minha pele a marca áspera e indulgente
Da tua voz, doce veludo, que já deu nome a muita gente

Sem mensão à discrição, a tua mais cortante arma
Que lhe faz juz, nobre donzela, ao teu caráter, arduo karma
Servindo como cura a qualquer que seja a tua doença
Na sangria sempre eterna tão suave a tua sentença

Ai! Se eu tivesse a eternidade cantaria sempre mais
Mas meu valor tão passageiro de períodos bem reais
Não me permite prosseguir com este canto comedido
Pois já tenho na memória este conceito esquecido

– Denani, Daniel –

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s